fbpx

Economia Informal: Um Problema

A questão dos ambulantes figura entre os problemas mais graves da região.

A velha briga entre comerciantes e camelôs está longe de acabar.

Vitale acompanha de perto a ação da subprefeitura, que coloca a guarda municipal nas ruas na tentativa de proibir que sejam armadas as barracas, principalmente na Avenida Penha de França – local preferido pelos camelôs –, mas não vê uma solução rápida.

“Não é uma questão apenas de mais policiamento, é preciso mudar a mentalidade das pessoas, e isso não ocorre facilmente.”

Outro projeto que é motivo de orgulho para o administrador é referente à publicidade irregular, iniciado na região pela distrital, em conjunto com a subprefeitura.

Vitale diz que a aparência do centro histórico do bairro começou a melhorar depois que a Prefeitura passou a multar em até R$ 20 mil aqueles que desrespeitavam a lei.

Vitale reconhece, porém, que ainda há muito a ser feito nessa área, pois as ruas do centro estão tomadas por pequenas lojas que exibem as mais diferentes placas e faixas de todas as cores e tamanhos.

Melhorar a aparência dos locais históricos é uma das metas da incipiente organização Viva Penha, que conta com a participação de moradores, alguns conselheiros da Associação Comercial e, obviamente, com o apoio da distrital.

“Nossa intenção é terminar a gestão revitalizando o centro da Penha”, planeja.

Entre os serviços cotidianos oferecidos aos associados está a recuperação de crédito, além do encaminhamento diário de cerca de 15 processos à Junta Comercial de São Paulo, para abertura, modificações e fechamento de empresas.

A entidade dedica parte de sua estrutura para uso da comunidade local.

São organizados cursos, palestras de utilidade pública e feiras de saúde, além de passeios de automóveis antigos, concursos de som de carros e a participação ativa nas festas do bairro.

Todo ano, por exemplo, envolve-se nas comemorações de 8 de setembro, aniversário da padroeira, Nossa Senhora da Penha de França.

É costume a associação patrocinar os fogos de artifício, com fundos arrecadados entre os associados e outros contribuintes.

Leave a Reply