fbpx

Lenda ou Verdade?

Igreja de Nossa Senhora da Penha de França
Igreja de Nossa Senhora da Penha de França

História da Penha

Os primeiros documentos que se tem notícia sobre a história da Penha datam do início do Século XVII.

Naquela época, os montes da Penha eram passagem obrigatória para quem chegava ou saía de São Paulo em direção ao Rio de Janeiro.

E justamente por isso, sua história se mistura, intimamente, à história de São Paulo.

É por seus caminhos que os bandeirantes buscavam indígenas para escravizá-los ou mesmo catequiza-los. Isso lá pelos idos de 1600.

Mas a história da Penha começou bem antes. em meados do Século XVI.

Muita gente imagina que a história é uma lenda mas uma outra parte jura que a história é verídica.

Leia com atenção e tire suas próprias conclusões…

A História do Viajante Francês

Conta-se que um viajante francês que passava por São Paulo a caminho do Rio de Janeiro decidiu repousar em um pequenino povoado no caminho para o Rio de Janeiro.

Pernoitou num monte aprazível de onde se avistava, ao longe, a ainda pequena São Paulo.

Como era católico fervoroso, o viajante carregava uma imagem de Nossa Senhora trazida de sua terra natal e a mantinha amarrada ao seu cavalo.

Antes de adormecer, porém, ele desatou o nó que prendia a imagem da Santa e a ela fez suas orações.

No dia seguinte acordou cedo, prendeu a Santa a seu cavalo e pôs-se a caminho.

Léguas adiante deu pela falta da Santa e, desesperado refez o caminho de ida.

Voltou todo o trajeto até encontrar a imagem no mesmo lugar onde havia dormido.

Colocou-a de volta no alforje com muito mais força que antes para garantir que não a perderia de novo.

Mas algumas horas depois, o viajante descobriu que a Nossa Senhora não estava mais com ele.

A Escolha da Santa

O Viajante francês voltou e novamente lá estava ela, no mesmo lugar.

O Viajante entendeu que a Santa escolhera aquele local para sua morada e, em sua homenagem decidiu construir ali uma ermida.

Anos depois, já por volta de 1660, dois irmãos teriam fundado ali um “povoado”.

E à partir desse período passa a existir “documentação histórica” que credita ao padre licenciado Mateus Nunes de Siqueira e por seu irmão, padre Jacinto Nunes de Siqueira, a fundação.

Por volta de 1660, o licenciado Mateus detinha a propriedade da fazenda com um grande curral e uma capela (que subistituíra a “ermida” construída pelo viajante francês).

Ao local foi dado o nome de Nossa Senhora da Penha de França.

Segundo conta Levino Ponciano em seu livro “450 Bairros São Paulo 450 Anos”, da Editora Senac São Paulo, o crescimento da fazenda veio do dinheiro que o padre deixou à Igreja de Nossa Senhora.

Porém a história da Imagem de Nossa Senhora já ganhava muitos fiéis e antes disso um grande número de pessoas já havia deixado seus bens em testamento para a construção de uma igreja no local.

Logicamente, com os recursos disponíveis, a capela cresceu em beleza e tamanho, assim como o pequeno povoado em seu entorno.

Imagem Aérea da Penha e RegiãoImagem Aérea da Penha e Região
Santuário de Nossa Senhora de Penha de FrançaSantuário de Nossa Senhora de Penha de França
Igreja de Nossa Senhora da Penha de FrançaIgreja de Nossa Senhora da Penha de França
Santuário de Nossa Senhora de Penha de FrançaSantuário de Nossa Senhora de Penha de França
Igreja Nossa Senhora da Penha de FrançaIgreja Nossa Senhora da Penha de França
Santuário de Nossa Senhora de Penha de FrançaSantuário de Nossa Senhora de Penha de França
Avenida Penha de França - Natal de 1969Avenida Penha de França - Natal de 1969
Rua Maria Carlota em 1963Rua Maria Carlota em 1963
Viação urbana PenhaViação urbana Penha

A Origem do Nome

A história dessa santa nasceu na França como “Notre Dame de France”, nas cercanias de grandes montes.

Daí Nossa Senhora do Monte, que no Brasil tornou-se Nossa Senhora da Penha.

Penha significa “grande massa de rocha isolada e saliente”, “penhasco”ou “penedo”.

O crescimento do bairro transcorreu de modo calmo e pequenas vilas foram se formando ao seu redor.

Nos primeiros anos do século XX, havia um pequeno ajuntamento de casas e grandes chácaras na região.

Estas foram sendo cortadas e recortadas para se transformar em loteamentos.

Entre eles estão alguns bairros que receberam o nome “Penha”, como atrativo de vendas, como é o caso da Chácara Penha e do pequeno bairro Penha de França.

No correr dos anos e do desenvolvimento do bairro, as festas em louvor da santa foram ganhando mais e mais fiéis e a pequena igreja já não dava mais conta de abrigar tantos peregrinos.

Nesse período, todos os anos, a imagem de Nossa Senhora da Penha de França só saía da igreja para a procissão anual até a Catedral da Sé e era acompanhada de milhares de fiéis e peregrinos de todas as partes.

Anos mais tarde, a imagem trazida da França pelo viajante devoto, deixou a igreja para tomar lugar, definitivamente, no novo Santuário de Nossa Senhora da Penha de França, uma imponente construção erguida próxima à igreja matriz.

A Penha, ficou com um ar bucólico e bem paulistano, mesmo com o franco progresso se instalando na região.

Talvez com saudade dos tempos das procissões…

Lenda ou Verdade?

E você, acredita que a Santa que está no Santuário da Penha é a mesma trazida pelo viajante francês ou acha que é só uma lenda criada por devotos?

Deixe seu comentário abaixo.

😉

Leave a Reply